Atma Jordão
Arte e Filosofia
Capa Meu Diário Textos Perfil Livro de Visitas Contato
Textos
Felicidade não é desse mundo
-- Sabe, Dom quixote. Felicidade não é desse mundo. Este é o mundo de provas e expiações. Aqui  estou sujeito a todo tipo de sofrimento. E se por acaso consigo ter uma saúde física e financeira. Se consigo ter uma família harmoniosa, sem conflito. Se ate mesmo o destino me ajuda a afastar de mim as adversidades, como poderei ser feliz vendo o resto da humanidade sofrendo de miséria, de violência, de doença? Como poderei ser feliz vendo a morte sepultando crianças inocentes? Nada mais triste do que ver um pai sofrendo a perda de um filho, mestre. Como poderei ser feliz vendo a injustiça acontecendo o tempo todo? Vendo a natureza sendo destruída, o estupro ficando em pune, as drogas escravizando os jovens? Como posso ser feliz vendo tanta gente passando fome, enquanto a corrupção politica nos devasta? Alem disso, Quixote, neste corpo denso em que vivemos, as vezes até comer doe.  Ate ir no banheiro doe. Talvez exista um mundo espiritual onde a felicidade seja possível, onde, inclusive, não há necessidade de ir ao banheiro.
De fato, Quixote, a felicidade cada vez mais não me parece deste mundo. Um mundo onde tanto o homem mau, quanto o homem bom sofrem perseguições e torturas.

-- Vejo que na sua opinião sobre felicidade , Sancho, ela não depende só de voce, mas depende, sobretudo, do mundo externo que o circunda. Para você, Sancho, enquanto este mundo externo não estiver harmonizado; enquanto este mundo externo não for uma mundo paradisiaco, voce nao terá condições de adquirir e manter este estado de consciencia chamada felicidade. Para voce, o mundo da felicidade é um mundo paradisiaco, onde todas as pessoas agem com bondade e justiça em relação aos outros e a natureza. Onde o próprio destino adquire compaixão e proteje todos das tragédias, adversidades e mortes ante naturais. É neste mundo perfeito,  talvez até espiritual, o unico lugar apto para o seu conceito de felicidade.

É exatamente isso, mestre. Vejo que voce me entendeu. Não é isso a felicidade?

Vivemos em um mundo fantasioso, Sancho. Aqui se fantasia de tudo, sobretudo a fantasia do que seria um ser humano de verdade. E por não saber o que é um ser humano, não sabemos o que verdadeiramente  nos torna felizes.

-- Então tire-me as fantasias, mestre, e me diga o que é o ser humano e onde encontramos a verdadeira felicidade.

-- A felicidade esta na auto realização, Sancho. Uma arvore se realiza fazendo coisas próprias de uma arvore. Um ser humano se realiza fazendo coisas próprias de ser humano.

-- E o que é próprio do ser humano?

-- Embora cada um tenha sua individualidade e maneiras próprias de se expressar, Sancho, existem pensamentos e sentimentos próprios de um ser humano em sua plenitude. O ser humano pleno é aquele que, por meio da vontade, conquistou o amor e a inteligencia própria de ser humano e por isso age com bondade, justiça, verdade e beleza. Para isso temos que nos conhecer e desenvolver todas nossas potencialidades, que são as virtudes humanas. Uma vez conquistadas essa potencialidades e colocadas em praticada, seremos pessoas realizadas e felizes. Uma felicidade que engloba também certas tristezas, certos sofrimentos, pois reconhece tudo como um grande aprendizado da alma que nunca morre, mas que é eterna. Todas as conquistas que nos leva a realização e a felicidade são conquistas internas, Sancho. Não precisamos de um mundo paradisiaco externo para ser feliz. Precisamos conquistar esse paraiso interiormente e sermos habitantes desse paraiso interno, independente do externo. Todo mau e tristeza que vemos no mundo são oportunidades para quem sofre e para quem contempla. O ser humano se realiza na transformação da desarmonia em harmonia e, neste sentido, nao nos falta materia prima(situações desarmonicas) para transformarmos em harmonia na nossa medida. Externamente, temos o mundo perfeito para a nossa felicidade, pois é um mundo que nos oferece todas as oportunidades de dar o nosso melhor, de praticar a compaixão, a generosidade sem esperar nada em troca. É um mundo cujo sofrimento nos possibilita nos humanizar, nos aproximar de quem nos realmente somos. O ser humano é como o grande Pai, Sancho, ou seja, um construtor, um criador e não um simples morador de um mundo perfeito. Por isso, a felicidade não esta em viver no paraíso, mas em construir esse paraíso com as próprias mãos. A felicidade esta no caminho, na construção, na criação.
Sim, Sancho. Estamos no mundo de provas e expiações. E é por isso que estamos no mundo onde podemos encontrar a verdadeira felicidade. Não uma felicidade estática, mas uma felicidade que nos exige atividade constante. " uma atividade da alma, guiada pela virtude", como nos diz o filosofo Aristóteles.

-- Então, mestre, como fazer para nos conhecer e conquistar nossas potencialidades? Isso parece coisa de sábios. Se a felicidade é apenas para os sábios, volto a dizer que a felicidade não é deste mundo.

A felicidade está disponível neste mundo, Sancho, porque é  neste mundo que se oferece as oportunidades para a conquista da sabedoria. De fato sabedoria e felicidade são indissociáveis. A felicidade está em se realizar como ser humano, alcançando seu potencial máximo que é a sabedoria. Aqui é o lugar da busca da sabedoria. Quanto mais você se aproxima dela, mais feliz voce é. Volto a dizer, não uma felicidade ausente de tristezas. UMA Felicidade que ultrapassa o entendimento, pois não está pautada por coisas exteriores, mas uma intensa vida interior, por isso uma paz capaz de englobar tristezas e alegrias, pois dela provém uma serenidade própria daquele que sabe que tudo que acontece, acontece para o bem, para o belo, para o justo e verdadeiro.
Atma Jordao
Enviado por Atma Jordao em 19/11/2020
Alterado em 21/11/2020
Comentários