Atma Jordão
Arte e Filosofia
Capa Meu Diário Textos Perfil Livro de Visitas Contato
Textos
A Corte do Rei Divino.
No inicio dos tempos,
Na época em que eramos governados por Reis Divinos.
Surgiu as primeiras "Cortes do Rei".
Essa "Corte" era formada por homens sábios de coração nobre.
A maneira como essa "Corte" se comportava era exemplo para todos.
-- Seja digno e aja como a "Corte"! diziam os anciões dos vilarejos.
-- Seja um filho bom e aja como a "Corte". Diziam as mães a seus filhos.
-- Na dúvida, aja como a "corte", diziam os sensatos.
Com o tempo, agir como a "Corte do Rei divino" ganhou uma expressão: seja "cortês". Aja com "cortesia".

Hoje, gentileza e cortesia são vistas como bajulação. As pessoas a fazem por medo, interesse ou formalismo.
Os sábios da corte faziam pela alegria que sentiam em ser generosos em seus tratos.
O povo daquela época agia com cortesia, porque queriam um dia se tornar como Eles. O povo, ainda que não sentissem prazer em ser cortes, faziam com esforço, porque viam valor e queriam ser pessoas melhores. Sabiam que se um dia se tornassem melhores, também sentiriam prazer na pratica da cortesia.

Todo ato de cortesia exige um sacrificio do eu pessoal em beneficio do outro, pois a cortesia é um ceder, é um doar.
-- Por favor, sente em meu lugar. Por favor, entre primeiro. Por favor, aceite esse presente. Deixe que eu faço isso para voce.
Tudo isso é uma pratica de autoesquecimento. Uma pratica de colocar o outro em primeiro lugar. Uma pratica de generosidade e, portanto, um exercicio espiritual de dominio da personalidade e de identificação com nossa Alma divina.

Certa época, era sempre eu que lavava a louça.
Sempre eu a praticar a cortesia.
Então um dia eu disse: -- Poxa. é sempre eu que tenho que ser cortes?! Não dá para variar um pouco?!

Hoje sei que o maior beneficiado é aquele que pratica a cortesia sem interesse. Aquele que prática a cortesia está se exercitando para em alguma vida se tornar sábio.
Não existe felicidade maior que se tornar sábio. E não existe bem maior a dar a humanidade do que a de se tornar sábio.

Então sim. Que seja sempre eu a lavar a louça, se assim o destino me permitir. Que seja sempre eu a ceder o lugar. Mas se alguem um dia pedir para lavar a louça ou se prontificar a ceder o lugar, será um dia feliz porque estarei vendo um irmão caminhar para a sabedoria. Então serei cortês com o amigo, permitindo que ele seja cortês comigo.
Atma Jordao
Enviado por Atma Jordao em 29/10/2020
Alterado em 29/10/2020
Comentários