Atma Jordão
Arte e Filosofia
Capa Meu Diário Textos Perfil Livro de Visitas Contato
Textos
Desapreciando a existência
As vezes, desaprecio esta existência.
As vezes desaprecio esta existência e me pego descontente.
E digo: “não tá fácil para ninguém está encarnado neste corpito”

As vezes é uma situação que não consigo lidar e me pego irritado. No momento é a moça do contrato de aluguel, que me parece intransigente, buscando o ganho financeiro a qualquer preço.
Outras vezes, não há situação explicita para culpar, mas apenas um descontentamento melancólico que me domina.
Então digo: “não tá fácil pra ninguém viver ao lado deste corpito”

Deprecio a existência porque não sei lidar com ela, e, portanto, não sei aprecia-la como uma prova para meu crescimento humano. Não são os fatos, mas o apreciador e o depreciador dos fatos que tornam a vida pesada. Os fatos são o que são. É o meu juizo de valor que importa, que determina meu estado de animo. Quais são minhas convicções?

Faço uso da memoria e reconheço que esses momentos de descontentamento são efêmero e não um estado permanente. Percebo que não é justo dizer que este estado momentâneo de desapreço e desanimo me representa.

Há tanto momentos de contentamento como de descontentamento na minha vida e ambos se alternam rapidamente na intensidade e velocidade de um pendulo. Mas nem um dos dois estados supera o tempo em que permaneço no trivial em branco, no automático e adormecido.

Esta na hora de aprender a apreciar o trivial.
Não existe momento comum
Atma Jordao
Enviado por Atma Jordao em 27/10/2020
Alterado em 28/10/2020
Comentários